terça-feira, 28 de agosto de 2012

Artigo que circula dia 29.08.2012, em A Gazeta, Macapá.


A degradação humana

Olimpio Guarany

O que é a degradação humana? Resposta simples: É quando o ser humano perde seus valores, perde sua essencia, perde os conceitos religiosos, fica refem das subculturas, sendo levado pra lá e pra cá, pelas diversas correntes duvidosas. Torna-se como o mais baixo ser. 
Pois bem, eu poderia falar sobre a desgraça que a fome provoca; a condição que impõe ao ser humano ir em busca da sobrevida ao ter que comer o que lhe sobra no lixo e outras consequencias provocadas por ações do próprio homem que transformam outros em um ser nada.
Quando vemos imagens na TV de serem humanos catando lixo para comer em meio a moscas e urubus; quando nos deparamos com pessoas em condições subhumanas, morando em lugares insalubres ou simplesmente jogadas nas ruas das grandes cidades como se não fossem serem humanos, imaginamos que isso só acontece em lugares distantes, longe da gente.
Nos causa impacto ao assistirmos as reportagens sobre a cracolândia, em São Paulo, por exemplo. Mas, e quando isso acontece debaixo de nossos olhos? E, quando isso acontece bem na nossa ilharga, na nossa cara e nem nos damos conta?
Essa semana - fazia tempo que eu não andava a pé pelo centro de Macapá- deparei com cenas inimagináveis até bem pouco tempo. Meninos e meninas, crianças e adolescentes, perambulândo pelas ruas e calçadas, as vezes jogados ao chão ou simplesmente sentados às portas das lojas, cheirando cola ou outro tipo de droga. Maltrapilhos, sujos, lanzudos, desprezados. Que futuro terão essas crianças e adolescentes? Ora, se não existe politica pública voltada para atende-los, não terão futuro. Talvez suas vidas se acabem no presente. Pessoas que cedo perderam a noção da vida, perderam valores, perderam sentimentos.
Estamos em plena campanha eleitoral e eu vou ficar atento, de olhos bem abertos, para ver se vai aparecer algum candidato apresentando proposta no sentido de devolver a dignidade a essas pessoas, se é que eles realmente se importam com aqueles que deles precisam.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Notas de ontem e de hoje.


Intolerância

Numa das ruas de acesso a Beira Rio, lugar onde se concentram cabos eleitorais e torcedores de candidatos, um fato, no minimo estúpido, foi registrado por um fotografo amador que passava pelo local. Um carro som, tipo trio elétrico, de um candidato a prefeito estava se posicionando, no momento em que aperece um outro carro-som de um adversário que atravessou na frente e parou, impedindo a manobra do outro. Daí pode-se imaginar o bafafá.


Fichas sujas

A justiça eleitoral do Amapá não está refrescando com ninguém. Candidatos que tem passado tenebroso e que se enquadram na lei da Ficha Limpa estão sendo barrados na hora de fazer o registro. Geralmente levam canetada na primeira instância, mas quando recorrem, também perdem. Um dia ainda vou ver esse país passado a limpo.

Peba de fora

Mesmo no mandato e candidato a reeleição à prefeitura de Amapá, Carlos Cesar Silva, o Peba, não poderá disputar as eleições de outubro. Essa semana o TRE confirmou a decisão da primeira instância que lhe havia indeferido pedido de regitro de candidtara.

Mais julgamentos 
Na próxima terça o pleno do TRE-AP se reune para julgar mais oito recursos. Os mais conhecidos são: Fran Junior (PP), Mazagão; Socorro Pelaes (PTN), Pedra Branca, candidatos a prefeitura; Luizinho do PT de Macapá; Zé Luiz (PT) de Santana, esse último irmão do prefeito Nogueira,candidatos a vereador.

Reta final

O juiz, professor e escritor Rui Guilherme, membro do Tribunal Regional Eleitoral, cumpre seu último ano como juiz de direito. No primeiro semestre de 2013 ele se aposenta compulsóriamente, mas continuará escrevendo artigos, livros e dando aula show como um dos melhores mestres do Brasil.

Paralisação

Se o governador Camilo Capiberibe não descer do altar e conversar com os professores, os alunos da rede estadual de ensino correm o risco de perder todo o ano letivo. É que já há decisão de paralisação de advertencia marcada pelos professores para o final de agosrto inicio de setembro.

BR 156

A noticia vem de Brasilia dando conta de que as obras da BR 156, região norte, estão com o cronograma atrasado. Embora essas obras sejam custeadas com  recursos do governo federal, através do Ministério dos Transportes, é o Governo do Estado o responsável pela administração.

Inimigos

Um amigo,  vindo de São Paulo,  visitava Macapá na última semana. No dia do embarque de retorno, já no aeroporto, ele virou pra mim e comentou “É impressionante como aqui partidários não se tratam como adversários, mas como inimigos”.

Artigo de Olimpio Guarany em A Gazeta, 26.08.2012


Campanha eletrônica

Olimpio Guarany

Fechamos a primeira semana da campanha eleitoral para prefeito e vereadores através da midia eletrônica, rádio e TV.
No geral os programas foram mornos. Como sempre ocorre , nesses primeiros dias, os candidatos se detiveram a abordar a sua trajetória de vida. Nesses momentos tentam sensibilizar o eleitor e mostrar o quão foi dificil chegar aonde estão.
O mais chato disso tudo é que alguns exageram. Exemplo tipico foi a candidata do PSB Cristina Almeida que chorou na primeira aparição. Pior é que ela foi mal dirigida e não passou como verdadeiro. Aliás, foi motivo de chacota em algumas rodas de conversas politicas. Milhomem do PCdoB pareceu aquele comunista pós didatura que perdeu o charme de ser vermelho. Ficou meio sem sal ao querer parecer o Milhomizinho paz e amor, com voz macia e cara de bonzinho. Roberto tentou aplicar vacina para deter os adversários interessados  em requentar temas que lhe são desagradáveis.  O Davi ficou mais na biografia, mas passou sinceridade com cara limpa. Entretanto deu pra notar que ele gravou de improviso, o que é um perigo do tamanho do mundo. O Clécio apareceu com olheira - não custava nada  uma produçãozinha de maquiagem - e não estava com a mesma cara da pré campanha. O Genival Cruz não fugiu a formula de anos anteriores usada pelo PSTU e foi logo soltando os cachorros pra cima dos adversários.
Nesta segunda feira, se inicia a segunda semana dos programas de TV e rádio. Vamos ver o que os marqueteiros estão bolando para convencer os eleitores. Nessa segunda fase, periodo em que começam a se aprofundar nas propostas, é bom tomar cuidado com as promessas. Já temos história de candidato que prometeu mundos e fundos, o céu e a terra, e acabou com um dos últimos colocados. Fazer campanha se utilizando de muita tecnologia, apresentando soluções virtuais, pode ser uma faca de dois gumes. O eleitor está ligado e de olhos bem abertos. Foi-se o tempo em que o candidato chegava, prometia o que não podia fazer e o eleitor acreditava e votava. Isso acabou.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

NOTAS DA COLUNA OLIMPIO GUARANY, em A GAZETA



Propaganda eleitoral

Ontem começou a campanha no rádio e na TV. O primeiro dia foi dos candidatos a vereança. Quem esperou por novidades se frustrou. Os programas  vieiram no mesmo diapazão das campanhas de anos anteriores. Pobres, os candidatos mal preparados, com rarissimas exceções,  mas o mesmo lenga lenga. Alguns chegam as raias do ridiculo.

Os prefeitos

Hoje é a vez dos candidatos a prefeito. Dos seis, ao menos três, mandaram buscar marqueteiros de fora. A expectativa é a grande. Essa eleição é uma preliminar para a disputa estadual de 2014. O eleitorado de Macapá cresceu e, como não dá para pegarem na mão de todos, a TV e o Rádio, dois meios de comunicação poderosos, se constituem em ferramentas importantes para os candidatos na busca pela captação de votos.

Aparecendo

Candidatos a prefeito não podem aparecer em programas de vereadores pedindo voto para quem quer que seja. Mas, o contrário é permitido. Um candidato a vereador, por exemplo, pode aparecer no programa do majoritário e pedir votos para seu candidato.

Pode ou não?

Ontem, em uma roda de bar, dois advogados discutiam sobre a legalidade ou não dos vereadores pedirem votos para prefeito em seus programas. Aquela frase do tipo: “vote em mim para vereador e no fulano para prefeito” foi o cerne da discussão. 

Na justiça

Por conta dessa história de vereadores pedirem votos para prefeito em seus programas, advogados de uma coligação entram hoje, no TRE,  com pedido de esclarecimento sobre essa questão. Como a justiça só se manifesta se for provocada, vamos esperar pra ver. Enquanto issso, alguns candidatos a prefeito aproveitam e tiram uma lasquinha do horário dos vereadores.


Mudança

Ainda vai render muito pano para as mangas a demissão de Luiz Pingarilho da secretaria de estado dos Esportes. Ao contrário do que se anunciou, dando conta de que o comunista foi defenestrado porque está apoiando outro candidato que não a escolhida pelo Palácio, os motivos teriam sido outros.

Gasto indevido

Teria sido a mãe do governador, a deputada Janete Capiberibe, a responsável pela queda de Pingarilho? Há quem diga que ele dançou porque gastou os R$ 500 mil da emenda alocada por ela no orçamento da União para bancar os jogos indigenas, nos jogos do Meio do Mundo. Isso teria deixado JC uma arara.

Denúncia

Deputada Marilia Góes (PDT) denunciou que o governador Camilo Capiberibe está gastando mais recursos do orçamento com despesas de seu Gabinete Civil do que com a Policia Civil. Ela se diz, ainda, inconformada com o baixo investimento em segmentos sociais, como os jovens, por exemplo, que tiveram o programa especifico esvaziado.

Cheque em branco

Parece que o governador Camilo Capiberibe encontrou o caminho das pedras na Assembléia. Do nada ele conseguiu aprovar o remanejamento desejado de mais 5% do orçamento. Isso representa R$ 179 milhões de reais. Além de conseguir aprovar numa velocidade impressionante, o Governo nem precisou detalhar em que pretende gastar toda essa bolada. 

Pensando bem...

Para quem estava encontrado dificuldade para aprovar propostas menos importantes, aprovar remanejamento de 5%, foi uma boa ‘mudança’.

As vices

Interessante a reportagem que A Gazeta publcou ontem revelando que as mulheres são maioria quando o assunto é candidatura a vice. Só na capital, das seis chapas majoritárias que disputam a prefeitura, cinco tem mulheres como vice. É um recorde histórico.


Polarização em Santana

Como era de se esperar, mesmo antes de começar a campanha na TV e Rádio, dois grupos politicos se engalfinham em Santana. Há quem afirme que Robson Rocha (PTB), filho de Rosemir,  já teria alcançado Marcivânia Freire (PT) apadrinhada de Nogueira. Se não é verdade, a olhos vistos, pode-se concluir que, ao menos, os dois andam par-a-passo. 

FRASE DA SEMANA: ( FOTO DE SARNEY)

“A herança de Quintino Bocaiuva é de um homem que luta e se entrega profundamente a suas convicções”, senador José Sarney, ao discursar, anteontem, em homenagem aos 100 anos de um dos lideres do movimento que derrubou a monarquia no Brasil.


domingo, 19 de agosto de 2012

A experiência e a juventude


por Olimpio Guarany ( jornalista, publicitário e professor universitário)

A experiência e a juventude

O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar - Diap - acaba de publicar o resultado da 19a. edição “Cabeças do Congresso Nacional”,  onde são indicados os 100 parlamentares - senadores e deputados - mais influentes naquelas casas. Desses, só dez formarão a elite da elite parlamentar brasileira.
Do Amapá se destacam, o senador José Sarney (PMDB) que exerce seu quinto mandato de  senador, considerado um dos politicos mais influentes da república, carregando consigo uma experiência de mais de 50 anos no exercicio de mandatos initerruptos e o senador Randolfe Rodrigues (PSOL), um dos mais jovens do país, cumprindo o segundo ano de seu primeiro mandato.

Experiência

Classificado como Formador de Opinião, José Sarney, ex-presidente da república, preenche os requisitos indispesáveis para ser definido como tal. É um parlamentar de grande respeitabilidade, credibilidade e prudência. Ao longo de sua vida dentro do Senado Federal sempre foi chamado para mediar conflitos e conduzir negociações politicas de alta relevância. Sua postura equilibrada e discrição na forma de agir, o colocam no seleto grupo dos parlamentares com credibilidade e confiança.
Sarney é daqueles que podemos chamar de lider de alta patente que trata de temas da mais alta relevância para o país  ao tempo em que evita se envolver ou se expor em questões menores do dia-a-dia. Ser chamado de Formador de Opinião nada mais é do que o reconhecimento de sua capacidade articulação, livre trânsito entre outras lideranças  e diversos segmentos representados no Congresso. Por ter uma visão abrangente e o fato de ser profundo conhecerdor dos problenas do país, sua opini!ão influcia fortemente a decisão dos demais pares.

Elite da elite

Sarney é reconhecido como lider de alta patente por ter seu nome indicado em todas as edições dos “100 maiores Cabeças do Congresso”. Mais do que isso, ao longo de todos esses anos, ele está sempre na lista dos 10 melhores parlamentares e dos mais influentes da república.

O novo

Randolfe Rodrigues (PSOL) desembarcou em Brasilia em janeiro de 2011 para assumir o seu primeiro mandato de senador apos ter sido eleito com a maior votação da história dos eleições no Amapá. O país não o conhecia, mas no Amapá ele já havia exercido dois mandatos de deputado estadual destacando-se pela grande capacidade em conduzir debates, especialmente sobre temas polemicos. Não foi preciso muito tempo para o senador mais jovem do país desfilar com desenvoltura entre seus pares, numa casa onde se instalam os cardeias da politica brasileira, geralmente homens experientes, calejados na politica, vindos de outros mandatos , tendo boa parte deles sido governadores de seus estados de origem.

Na elite

O Diap ainda não divulgou a lista dos 10 mais influentes “Cabeças do Congresso”, mas o jovem Randolfe Rodrigues já garantiu o seu lugar entre as lideranças, mesmo ainda engatinhando naquela chamada “casa de vehos”. Classificado como Debatedor, RR se destacou pela facilidade da oratória e perfil destemido, tipico de quem foi forjado nas lutas estudantis e nas trincheiras da esquerda combativa. Inlcuido ou não entre os 10, Randolfe fecha seu segundo ano de mandato “dizendo a que foi”, se é que se pode mudar a expressão “dizendo a que veio” para traduzir a atuação daqueles que, no minimo, lutam para honrar o mandato conferido pelo voto popular.

domingo, 12 de agosto de 2012

Analise conjuntural após a pesquisa Ibope



Olimpio Guarany


Os rumos da eleição

Primeira pesquisa Ibope divulgada pela TV Amapá na última sexta revelou um quadro que já se conhecia, por outras pesquisas. Roberto Góes (PDT) se manteve em primeiro, seguido por Cristina Almeida (PSB). Aliás essa segunda posição vinha sendo ocupada por Clécio Luis (PSOL). Mesmo assim, a diferença de três pontos da segunda para o terceiro colocado nos remete a um empate técnico. É recomendável parar para pensar se o episódio Clécio/Cleidenira influenciou ou não. Se influenciou o quanto isso significou. Pelo quadro apresentado, vislumbra-se a possibilidade natural de crescimento dos candidatos que buscam entrar no seleto grupo de dois que disputarão o segundo turno. 

As possibilidades

É certo que há a possibilidade de crescimento tanto pelo flanco direito quanto pelo flanco esquerdo de Roberto. Daí dá para retirar outra reflexão: Roberto Góes, prefeito eleito em 2008, desde sua posse já era, naturalmente,  candidato a reeleição. Cristina se posicionou como único nome no PSB, logo após a sua eleição de deputada em 2010. De lá partiu para a pré-campanha e se consolidou como candidata do partido governista. Clécio, desde a eleição de seu parceiro de partido, o senador Randolfe Rodrigues, ganhou tutano para se credenciar como candidato. Atuando como vereador, Clécio desenvolveu ações diretamente voltadas para a cidade e tratou de fazer o que chamamos de pré-campanha. 

Buscando a terceira via 

Vamos para análise do quarto colocado na pesquisa, Davi Alcolumbre (DEM). O candidato da coligação Macapá Melhor não havia se posicionado no período da  pré-campanha porque dependia da decisão de Lucas Barreto (PTB) em ser ou não candidato,por conta de um acordo. E assim aconteceu. Lucas não foi e Davi assumiu a postura de candidato. Não houve tempo para fazer com que o universo de eleitores tomasse conhecimento da candidatura de Davi. Só depois da convenção, devidamente homologado, é que ele passou a ser divulgado como candidato.

Alento e motivação 

É preciso destacar que a pesquisa Ibope foi feita mesmo antes de Davi inaugurar seu Comitê Central quando, ainda, sua campanha não estava na rua. Daí o resultado da primeira rodada da pesquisa indicar uma grande vantagem para o candidato do DEM, a partir do instante em que ele dá a largada com 7% de preferência. É muito significativo, e isso, sem dúvida, abre a possibilidade de crescimento, especialmente considerando que Davi tem o menor indice de rejeição, ou seja, uma raia aberta para crescer.

Prognóstico

Dizer que A  e B ou C vão para o segundo turno é prematuro. Ainda temos que esperar o que os marqueteiros estão bolando e como vão se comportar os candidatos nos programas de TVs e nos debates. Lá na frente, depois de 6 ou 7 programas vai dar para aquilatar e identificar uma tendência do eleitor. Por enquanrto é só o começo. 

Análise histórica

Se a análise histórica serve de base para alguma coisa, basta lembrar que em 2008, Lucas, então candidato do PTB, em chapa pura, começou com apenas 2% e, por pouco, muito pouco, não passou para o segundo turno, após um crescimento avassalador durante o periodo da campanha na Tv e Rádio. Portanto,ainda é cedo e temos que esperar pra ver como vai ficar.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Notas da coluna OLIMPIO GUARANY ESCREVE, em A Gazeta


OLIMPIO 07.08.2012

Propaganda eleitoral
Começa dia 21 de agosto e vai até o dia 4 de outubro a campanha eleitoral no rádio e na televisão. Os prefeitos vão desfilar as segundas, quartas e sextas e os vereadores as terças, quintas e sábados.
Marqueteiro
Desde o inicio de julho que o marqueteiro Osvaldo Freitas Filho, o Vadinho, já não comanda a campanha de Clécio Luis (PSOL). Por estratégia e redução de custos, Chiquinho Cavalcante, ligado ao partido é quem dá os rumos na campanha. Vadinho é  o mesmo que fez dobradinha com Orly Bezerra na vitória do “Não” no plebiscito para redivisão territorial do Pará.
Dando a volta
A P2 que vem trabalhando na campanha de Marcivânia, em Santana, trocou de casa em Macapá. Depois de iniciar o trabalho com Milhomem (PCdoB), pulou o muro e desembarcou na campanha de Cristina Almeida (PSAB).
Visibilidade
Gente ligada a Milhomem (PCdoB) diz que a campanha está atrasada porque ainda não chegou o dinheiro prometido pela Executiva nacional do PC do B. Seria o empurrão que o candidato comunista estaria precisando para botar o bloco na rua.
Agenda
As assessorias dos candidatos Roberto Góes (PDT), Evandro Milhomem (PCdoB) e Cristina Almeida (PSB) estã devendo o envio da agenda diária de seus candidatos. A coluna recebeu, entretanto, as de outros quatro, confira. 
Agenda I
Davi Alcolumbre (DEM) reune-se com a equipe de campanha pela manhã e a tarde grava para os programas de TVs; Clécio Luis (PSOL) promove visitas pela manhã e a tarde a a noite vai ao Pacoval, Brasil Novo e Boné Azul. Já o candidato do PSTU  Genival Cruz com agenda organizada  marcou visita aos trabalhadores de endemias pela manhã ;visita aos trabalhadores rodoviários no terminal do Congos à tarde e  noite se reúne com a direção do Partido.
Código penal
O senador José Sarney (PMDB-AP) recebeu, ontem, o presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG), Claudio Lopes, acompanhado por mais de 20 outros representantes do Ministério Público. O objetivo foi discutir a criação de um mecanismo de diálogo com o Congresso para ouvir as demandas parlamentares e contribuir com os debates legislativos. O MP quer contribuição com sugestões para o novo Código penal, disse Claudio Lopes.

Senso comum
Pelos primeiros discursos e entrevistas dos candidatos a prefeito de Macapá uma coisa ficou clara: o prefeito eleito terá que se virar nos 30 para ir buscar dinheiro do Governo Federal. Primeiro porque o governo do estado não estaria repassando o que tem direito o municipio, segundo que o orçamento municipal não consegue fazer frente as demandas crescentes da capital.
Olha já
Um candidato a vereador fez uma incursão, anteontem, no Vale Verde. O rapaz quase foi escorraçado de lá. Ao bater na porta de uma residência ouviu de uma moradora : “Mas o que tu queres rapaz?  Ao que respondeu: “vim pedir seu voto para vereador”. Moradora: “Olha já este pequeno, nunca apareceu por aqui e agora quer que eu vote nele. “Sai pra lá jacaré...” e bateu a porta.
Fata de consideração
Macapá tem um dos piores transitos do país por vários motivos, entre otros a falta de educação de boa parte dos motoristas, bem como a falta de consideração. Quase todos querem levar vantagem e não são nada cortez com os outros.
O episódio
Uma senhora, dirigindo um carro popular, estava com dificuldade para manobrar e retornar na rua Paraná, ao lado da Monte. Ao que eu parei em um lado da pista, coloquei a mão pra fora e segurei o trafégo atrás do meu carro. Todavia, a senhora estava com dificuldade do outro lado da pista, onde, no contra fluxo, os motoristas buzinavam desesperadamente, parecia que o mundo iria acabar; desviavam sendo que um deles até subiu na calçada, mas nenhum parou para esperar a senhora manobrar. Só quando cessou a pressão ela consiguiu passar para outra pista sob os meus olhares. Francamente.

Ponte bi nacional
Somos um pais de terceiro mundo mesmo. Não adianta sermos a 6a. economia mundial, se socialmente somos pobres. Caso emblemático é o da ponte do rio Oiapoque ligando o Amapá a Guiana Francesa. Pois é, a parte de lá já está toda pronta. A estrada de Saint Georges até Cayena perfeita, parte francesa da ponte concluida, a urbanização no pé da ponte, perfeita, aduana, fiscalizaç!ão, policia de frontera e toda a estrutura necessária numa região fronteiriça, na parte da Guiana, estão prontas. 
No Brasil
Agora, do lado brasileiro, a ponte não está concluida, não há urbanização, nem a via que liga a ponte à cidade de Oiapoque está pronta, muito menos a estrutura aduaneira. Resultado: atraso na entrega de obra. De resto, durma com um barulho desses.