terça-feira, 25 de novembro de 2014

Novembro Azul tem caminhada em Ferreira Gomes


A cidade Ferreira Gomes será palco de campanha Novembro Azul. A Caminhada acontecerá no inicio da manhã do próximo sábado, 29. Concentração será na Praça da Montanha, a partir da 7hs da manhã. A organização é da Secretaria Municipal de Saúde.
Novembro é o mês dedicado à saúde masculina. O Novembro Azul, criado há mais de dez anos para lembrar aos homens a importância do exame de próstata, entre outros cuidados.

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele). É o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente, representando cerca de 10% do total de cânceres. Sua taxa de incidência é cerca de seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

TRE aprova resultado das eleições 2014



O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP), em Sessão realizada nesta quarta-feira (5), aprovou, por unanimidade, o Relatório Final da Comissão de Apuração das Eleições 2014. Com isso, foi homologado o resultado final das Eleições Gerais 2014. O balanço do pleito está disponível para consulta no site do TRE (http://www.tre-ap.jus.br/). A homologação também teve a anuência da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE/AP).
Com a aprovação, o Tribunal também declarou eleitos aqueles que constam do relatório. A votação do segundo turno do pleito ocorreu no dia 26  de outubro de 2014, de 8h às 17h. A contagem dos votos foi finalizada às 20h. 

O primeiro (5/10) e segundo turno no Amapá atenderam a todas as normas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o pleito transcorreu com tranqüilidade, dentro do planejamento da Justiça Eleitoral amapaense. 

A Comissão de Apuração das Eleições 2014
A comissão de apuração foi presidida pelo juiz Marconi Pimenta, com auxílio dos magistrados Vicente Gomes e Fábio Garcia, além da secretária de Tecnologia da Informação do TRE, Elinete Freitas. 

A comissão auditou o resultado do pleito. O relatório validou a votação por número de votos válidos e anulados em cada seção; a votação por partido e por candidato; o quociente eleitoral e partidário e a distribuição de sobras; os mapas gerais da apuração, votos atribuídos aos candidatos e partidos. 

Participaram da sessão os juízes Raimundo Vales (Presidente), Sueli Pini, Lívia Peres, Eleusa Muniz, Marconi Pimenta, Vicente Gomes e Fábio Garcia. Também presente o procurador regional eleitoral, Dr. Paulo Santiago.
 ---------
Elton Tavares

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Globo tira Patrícia Poeta do JN, mas não diz pra onde ela vai.

patricia poeta
Patricia Poeta deixa o JN
Após três anos na bancada do JN, Patrícia Poeta deixa suas funções para se dedicar a um novo projeto no entretenimento. Em seu lugar entrou Renata Vasconcelos, um dos nomes mais fortes da emissora no jornalismo e que na época da saída de Fátima Bernardes estava cogitada para a bancada do JN. Poliana Abrita, que ganhou projeção nacional ao cobrir férias no “Jornal da Globo”, assumirá o “Fantástico” ao lado de Tadeu Schmidt.
As mudanças parecem repentinas, mas são estudadas há um bom tempo pelos principais diretores da Globo envolvidos com a criação de novos programas, entre eles uma grande revista para o período da tarde. Alguns executivos eram contra tirar Patrícia Poeta apenas 3 anos após assumir a bancada do “Jornal Nacional”, o que poderia ser entendido pelo telespectador como rejeição ou que a âncora não se saiu bem à frente do principal telejornal.
O fato é que Patrícia Poeta estará à frente de um novo projeto de entretenimento desenvolvido pela Globo. Nos bastidores há quem afirme que se trata do aguardado programa das tardes que substituirá a “Sessão da Tarde” e “Vídeo Show”. Desta forma, Patrícia Poeta seguirá um caminho muito semelhante ao trilhado por Fátima Bernardes. O anúncio da troca sinaliza um novo posicionamento da Globo, que é apostar em jornalistas no comando de atrações do entretenimento.

Adepol denuncia insalubridade nas delegacias e quer fiscalização do MPT.



Delegado Savio Pinto, presidente da Adepol

O Presidente da Adepol-AP, Delegado SÁVIO PINTO, esteve no Ministério Público do Trabalho - MPT onde foi recebido pela Dra. BRADIANE FARIAS RIBEIRO LIMA, Procuradora do Trabalho, para reforçar o pedido de fiscalização das condições do meio ambiente do trabalho (segurança, higiene e saúde) nas diversas Delegacias de Polícia do Amapá. 
O Delegado SÁVIO PINTO frisou que é importantíssimo que o MPT visite a Delegacia do Zerão (9ª DP) a fim de que constate que o ambiente está ou esteve realmente infestado por pombos e que o falecimento de um policial civil pode ter relação direta com este triste quadro de insalubridade e completo caos vivenciado nas DPs de todo o Amapá.
A Dra. BRADIANE prometeu que as fiscalizações iriam continuar e que o MPT não medirá esforço para exigir que o Estado do Amapá cumpra com as suas obrigações de proporcionar aos servidores públicos e demais trabalhadores da iniciativa privada, os quais prestam serviço nas Delegacias, condições mínimas de trabalho, relacionadas à segurança, higiene e saúde.
Por derradeiro, esclareceu o Delegado SÁVIO PINTO, Presidente da Adepol-AP, que sua atuação em exigir sistematicamente do Governo do Amapá, seja qual for o partido que esteja no poder e seja em que período for, permanecerá incólume e obedecerá sempre (e tão somente!) a necessidade prática ou não de se fazer essa cobrança. Em outras palavras, que seu mister (defesa intransigente dos Delegados) será cumprido com independência e responsabilidade, doa a quem doer. Avante!   

Assessoria de imprensa do Associação dos Delegados de Polícia do Amapá
Anderson Calandrini
(96) 8121-3851 ou (96)9186-8848

Justificativa do voto pode ser feita até dezembro


O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) alerta aos eleitores que não votaram no segundo turno das Eleições 2014 que a justificativa para a ausência pode ser feita em qualquer Cartório Eleitoral até o dia 26 de dezembro de 2014. O Estado possui 455.514 eleitores. Ao todo, 389.080 eleitores compareceram (85,44%). As abstenções, durante a segunda etapa do pleito, foram de 14,56%, que soma 66.288 faltosos.
Já para o cidadão que não votou na primeira etapa o prazo de justificativa do voto se encerrará em 4 de dezembro (60 dias após o primeiro turno).  No Amapá, deixaram de votar no primeiro turno 47.522 eleitores. Quem não votou por estar no exterior deverá justificar o voto em, no máximo, 30 dias após sua chegada ao Brasil.
Punições aos eleitores que não justificarem o voto
A legislação eleitoral prevê punições para o eleitor que não votar e não justificar a sua ausência nas eleições. Sem o comprovante de votação, ou de quitação de suas obrigações eleitorais, o eleitor fica impedido de exercer alguns direitos, tais como: inscrever-se em concurso público; ser empossado em cargo público; obter Carteira de Identidade ou Passaporte; renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial; obter empréstimos em bancos oficiais; e participar de concorrência pública ou administrativa.
Como justificar (formas presencial, postal e virtual)
Para justificar, basta que o eleitor apresente o requerimento preenchido, em qualquer cartório eleitoral, acompanhado da documentação que comprove a impossibilidade de comparecimento ao pleito (atestado médico, por exemplo). A justificativa também pode ser feita via postal, encaminhando a documentação ao juiz da Zona Eleitoral onde o eleitor é inscrito. Se os dados estiverem incorretos ou não possibilitarem a identificação do eleitor, o documento não será considerado válido pela Justiça Eleitoral.
Para justifica pela internet, o eleitor precisa entrar no site do Tribunal Superior Eleitoral (www.tse.jus.br) e preencher um formulário, com nome, data de nascimento e o número do Título Eleitoral, além de responder a uma pergunta de segurança. Em seguida, deve explicar por que não votou. Documentos que comprovem a razão da ausência nas eleições, como atestado médico e comprovante de passagem, devem ser digitalizados. Assim, o eleitor não precisa enviar os documentos pelo correio nem ir a um cartório eleitoral.
Serviço:
Tribunal Regional Eleitoral do Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing
Elton Tavares
ALTV
Fones: 2101-1504/84059044/91474038

Aviso aos navegantes: hoje é o último dia para prestação de contas eleitorais.

Prazo para prestação de contas de candidatos que disputaram o 1º turno encerra nesta terça-feira (4)
O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) alerta aos candidatos, comitês financeiros e partidos políticos que disputaram o primeiro turno das Eleições 2014, que o prazo para a prestação de contas finais de campanha encerrará nesta terça-feira (4). A movimentação financeira dos postulantes aos cargos de deputado estadual, deputado federal e senador será recebida até amanhã, às 19h, na Secretaria Judiciária (Sejud/TRE).
Para a elaboração da prestação de contas, deverá ser utilizado o Sistema de Prestação de Contas Eleitorais (SPCE), disponibilizado na página da Justiça Eleitoral, na internet, e encaminhada em meio eletrônico.
Prestação de contas
A prestação de contas consiste no relatório dos recursos em dinheiro ou estimáveis em dinheiro que tenham recebido para financiamento de campanhas, bem como dos gastos realizados. Ao todo, o número de prestação de contas poderá chegar a 547 processos para julgamento pelo TRE-AP. A obrigatoriedade das análises atende aos princípios da transparência e da publicidade perante a sociedade.
Irregularidades na prestação de contas
Havendo indício de irregularidade na prestação de contas, a Justiça Eleitoral poderá requisitar dos candidatos, partidos e coligações, informações adicionais e determinar diligências para a complementação dos dados ou para o saneamento de falhas, podendo ainda o juiz relator determinar a quebra dos sigilos fiscal e bancário do candidato, dos partidos políticos, dos doadores ou dos fornecedores da campanha.
Julgamento
Após o processamento das prestações de contas, a Justiça Eleitoral verificará a regularidade das mesmas, decidindo pela aprovação, quando estiverem totalmente regulares; pela aprovação com ressalvas, quando as falhas verificadas não comprometerem a regularidade das contas; pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometam a sua regularidade; e pela não prestação das contas, quando as contas não forem apresentadas, ou quando faltarem documentos e informações essenciais à análise das contas.
Sanções
A decisão que julgar as contas eleitorais como não prestadas acarretará ao candidato, o impedimento de obter a certidão de quitação eleitoral até o fim da legislatura à qual concorreu e, ao partido político, a perda do direito ao recebimento da quota do Fundo Partidário.
Desaprovadas as contas, a Justiça Eleitoral remeterá cópia de todo o processo ao Ministério Público Eleitoral, para a propositura de ação de investigação judicial para apurar eventual abuso de poder econômico decorrente das irregularidades relativas na captação ou gastos ilícitos de recursos de campanha.
Serviço:
Tribunal Regional Eleitoral do Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing
Elton Tavares
ALTV
Fones: 2101-1504/84059044/91474038

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Primata encontrado só na Amazônia pode desaparecer

Descumprimento de leis e urbanização causam mortes. Espécie é encontrada em apenas três municípios do Amazonas; pelo menos 10 morrem por ano


Por: G1, AM 
Uma das espécies amazônicas mais raras está entre as mais ameaçadas de extinção. O sauim-de-coleira (Saguinus bicolor), considerado um animal símbolo da capital amazonense, corre o risco de desaparecer em poucas décadas. Em liberdade, o primata é encontrado apenas em uma área de terra que compreende alguns quilômetros, entre três municípios do Amazonas. Dados apontam que pelo menos 10 deles morrem por ano só na zona urbana de Manaus. Especialistas somam esforços e buscam meios para protegê-lo. "Apenas cumprir a legislação ambiental já seria suficiente", diz o pesquisador e diretor do projeto Sauim-de-Coleira da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Marcelo Gordo.
O avanço da urbanização sobre as áreas de floresta e um predador natural preocupam ambientalistas, que destacam medidas para tentar salvar o sauim-de-coleira. Eles apontam que as novas construções isolam áreas de floresta e expõem os primatas a riscos como atropelamentos e choques elétricos.
A pesquisadora da Universidade Federal de São Paulo (USP), Mónica Romero Solorio, acredita que é importante frisar para a população que o sauim-de-coleira é exclusivo do Amazonas, não sendo encontrado em nenhuma outra floresta do mundo. "Somente com o envolvimento e a conscientização da população manauara será possível reverter o atual quadro de declínio populacional do sauim. Se isso não acontecer, corremos um sério risco de ver Manaus se tornar a primeira metrópole brasileira a extinguir uma espécie de primata. Pior, extinguir a espécie que é considerada o seu próprio símbolo", citou a pesquisadora.
Para Marcelo Gordo, apenas o cumprimento do que determina a legislação municipal, estadual e federal já seria suficiente para garantir a sobrevivência da espécie. "A legislação ambiental não é cumprida. Seja pelo poder público, seja pela população. O sauim-de-coleira vive em uma área que compreende Manaus, Itacoatiara e Rio Preto da Eva. Se na capital as áreas verdes dão lugar à ruas e construções, na Zona Rural aparecem novos ramais, sítios e fazendas que acabam degradando boa parte da vegetação original. Isso sem respeitar, muitas vezes, o que é lei. Vemos condomínios, até delegacia e escola em Áreas de Proteção Ambiental. O problema não é só aquela invasão irregular. É preciso mudar a forma de agir, simplesmente cumprir a lei, e respeitar o meio ambiente", afirma. 
De acordo com a Lei nº 605 do ano de 2001, Código Ambiental do Município de Manaus, é considerada infração gravíssima "praticar ações que causem poluição ou degradação  ambiental, em áreas de preservação permanente e Unidades de Conservação".
O contato dos sauins com a fiação elétrica, ruas e animais domésticos - como cães - ocorre com a diminuição das áreas verdes. Manaus possui várias Áreas de Proteção Ambiental (APAs), mas alguns fragmentos de floresta passaram a ficar isolados com o passar dos anos.
"Além de um predador natural, o Sauim-de-mão-dourada – que compete por território –, invasões de terras irregulares, abertura de novas vias para trânsito de veículos e a construção de novas unidades habitacionais e condomínios legalizados impactam diretamente na redução de fragmentos florestais nas zonas urbana e rural de Manaus. Algumas áreas de florestas acabam ilhadas, rodeadas por casas e ruas, sem conexão com outras áreas verdes", explicou Gordo.
Segundo o analista ambiental do Ibama e veterinário, Diogo Lagroteria, é comum resgatar animais em invasões e áreas desmatadas para construção de condomínios residenciais regularizados, com licença ambiental. "Em um ou dois hectares de floresta em Manaus você consegue encontrar vida. Sauins, preguiças, tamanduás etc. Não se trata de não ter licenciamento para novas construções, mas é preciso haver mudanças planejadas que permitam a continuidade da vida desses animais. É preciso um trabalho integrado e consciente para não gerar a morte de animais", disse Diogo ao G1.
Além de planejamento para evitar que as principais Áreas de Proteção Ambiental (APAs) fiquem isoladas, membros do Plano Nacional para a Conservação do Sauim-de-Coleira  apontam como medidas necessárias para evitar atropelamentos ou choques elétricos a criação de lombadas em ruas próximas de áreas verdes onde há registros de animais, substituição da rede de fiação por rede subterrânea e trabalhos de conscientização ambiental.

Dados sobre a espécie

Pesquisadores estimam que há aproximadamente 30 mil sauins-de-coleira na natureza. O primata é estudado há cerca de 14 anos por pesquisadores da Ufam."Não há levantamento oficial de morte de sauins, mas, pelo menos 10 são registradas por ano apenas nas APAs e ruas de Manaus. Há relatos de atropelamentos também nas rodovias AM-010 e BR-174. Fora os casos de animais mortos por cachorros, casos em invasões e condomínios que não ficamos sabendo", revelou Diogo.
Os sauins resgatados com vida são encaminhados ao Projeto Sauim-de-Coleira, da Ufam, Refúgio Sauim Castanheiras, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), ou ao Centro de Triagem de Animais Silvestre (Cetas) do Ibama. Todas estas instituições ficam localizadas em Manaus.
Apenas entre os meses de março a julho deste ano, há registro de sete sauins resgatados. "Todos os sauins da cidade de Manaus estão em situação de risco. Na verdade, esses sete animais foram os que foram parar no Cetas. Imagino que nesse período, um grande número de sauins morreu, porém sem o nosso conhecimento", contou Diogo.
O veterinário destacou ainda que há filhotes entre os primatas apreendidos. "Desses sete animais, um morreu, o que foi eletrocutado, um foi solto - ele foi eletrocutado e se recuperou -, três filhotes foram enviados para o Zoológico de Bauru e dois estão no Cetas esperando destinação. Esses animais foram reabilitados e após coleta de material, microchipagem e colocação de rádio-colar, foram soltos. Agora estão sendo monitorados para avaliarmos o que está acontecendo com eles. Nesse caso, são os dois animais resgatados da área desmatada", revelou Diogo.
O zoológico de Bauru, em São Paulo, realiza um trabalho destinado à reprodução de primatas em cativeiro. A instituição trabalha junto ao Plano Nacional de Conservação dos Sauins-de-coleira. Um filhote de sauim nasceu no local este ano.
Para a bióloga Dayse Campista, o sauim-de-coleira ainda é um 'desconhecido' para a maioria da população. "A maioria dos brasileiros acha que quem está ameaçado é apenas o mico-leão. Se a gente não fizer nada pelo sauim em um período curto ele vai desaparecer. É preciso fazer um trabalho para conscientizar a importância de salvar esse macaquinho de 800 gramas. Ele está mais ameaçado que o mico-leão-dourado, o 'primo' dele. Gosto de falar primo porque assim a população olha com outros olhos, pois o mico-leão-dourado já tem um trabalho de preservação intensificado há pelo menos três décadas e já é conhecido", disse.

Ações

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) informou que faz parte do Plano Nacional para a Conservação do Sauim-de-coleira e trabalha para a implantação de ações de preservação. Por meio de assessoria de imprensa, citou ainda que desenvolve trabalhos após "anos de inércia". 
"A Semmas vem agregando instituições, mobilizando os órgãos para que possam desenvolver ações nunca antes feitas, a exemplo da construção de lombadas no Conjunto Acariquara, para reduzir o número de atropelamentos de animais, e a realização de mapeamento dos territórios de fauna para a instalação de sinalização indicativa da presença de animais e viabilização de estudos, junto com o Manaustrans [Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito], para identificação de passagens subterrâneas. Estamos agregando instituições, mobilizando os órgãos municipais, pesquisadores, iniciativa privada e comunidades tradicionais, e indo a campo", citou comunicado enviado ao G1.
O órgão municipal informou ainda que parte das placas de sinalização que indicam a presença do sauim-de-coleira já foram instaladas em vias da capital.

Campanha de preservação

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS) lançou no dia 31 de julho uma campanha de sensibilização que prevê a distribuição de material informativo e disponibiliza telefones para denúncias. Arquivos digitais sobre o tema podem ser baixados no site da instituição (www.sds.am.gov.br) e material informativo impresso é entregue na sede do órgão em Manaus.
A população pode solicitar resgate ou fazer denúncias via telefone aos órgãos ambientais. As ligações podem feitas para o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas, pelos telefones (92) 2123-6715 e 2123-6729, e para o Batalhão de Policiamento Ambiental, pelo 190 e (92) 3214-8904.

Tráfico

Diferente de parte dos animais que figuram na lista vermelha dos ameaçados, o tráfico não é o principal vilão no caso dos sauins, segundo pesquisadores. De qualquer modo, fiscais do Ibama também têm encontrado sauins em cativeiro.
"Esse tipo de atividade não era tão comum, mas parece estar se tornando mais corriqueiro. Vale ressaltar que a manutenção de qualquer espécime de animal silvestre em cativeiro sem autorização é crime ambiental. No caso do sauim-de-coleira que é considerado uma espécie ameaçada de extinção, a multa por manter cada sauim em cativeiro, ou mesmo transportar, utilizar, vender, comprar, etc., é de R$ 5 mil, podendo acarretar ainda até 1 ano de prisão para o infrator, além do processo administrativo", completou relatório do órgão

Plantas medicinais da amazônia: Em defesa da 'cura natural'

Campanha nacional defende o reconhecimento dos ‘saberes’ tradicionais no tratamento de doença pelo Ministério da Saúde

    Camponesas, ribeirinhas e indígenas de oito municípios do Amazonas promovem encontros para trocar informações e experiências sobre o uso das plantas medicinais
    Camponesas, ribeirinhas e indígenas de oito municípios do Amazonas promovem encontros para trocar informações e experiências sobre o uso das plantas medicinais(Divulgação)
    Mulheres do interior do Amazonas aderiram a uma campanha nacional para que o conhecimento tradicional no tratamento de doenças seja reconhecido pelo Ministério da Saúde. As “enfermeiras da floresta” afirmam que verdadeiros milagres são operados por meio de xaropes, garrafadas e unguentos preparados com plantas da Amazônia para tratar os esquecidos pelo sistema de Saúde.
    O conhecimento sobre os poderes de cura dessas ervas,  cultivadas em quase todos os quintais no interior do Estado, é passado de geração em geração por meio das mulheres que vivem nas áreas rurais. É o caso da agente comunitária de Saúde, Ene Oliveira da Silva, 35.
    Ela recebeu da avó e da mãe, durante a criação, informações sobre como usar hortelãzinho, mastruz, cascas de jatobá, mel de abelha, semente de e até ovo galinha caipira para tratar males na garganta e outros sintomas provocados pela gripe.
    ‘Sara tudo’
    A babosa também é usada em casos de doenças no pulmão. Para todos os tipos de “doença de mulher” não há quem deixe de lançar mão do famoso “sara tudo”. Um chá das cascas de uma árvore conhecida com esse nome tem a fama de sarar infecções. “É muito bom para inflamação”, declarou.
    O Jucá, outra semente da Amazônia, também é alternativa de tratamento para sangramentos, cólicas e alterações no ciclo menstrual. Ene faz questão de passar esse conhecimento para as três filhas adolescentes. “Elas já sabem que erva usar e para que tipo de doença”, declarou a mãe.
    Alternativa segura
    A agente de saúde defende que o conhecimento tradicional seja aproveitado como forma de tratamento seguro. “O remédio natural não tem os efeitos colaterais que provocam o excesso de química dos remédios de farmácia”, disse.
    Ene defende ainda e alternativas de autonomia para as mulheres camponesas. “Seria sim uma forma dessas mulheres ganharem maior autonomia de suas vidas a partir de seus conhecimentos”, declarou.
    O movimento de mulheres camponeses defende que conhecimento tradicional não seja entregue de bandeja nas mãos da indústria farmacêutica e possa ser usado pelas conhecedoras originárias desses tipo de medicamentos.

    O toque ainda é tabu para brasileiros que resistem ao exame de próstata

    Quase 50% dos brasileiros nunca foram ao urologista e, até o fim de 2014, a projeção é que 12 mil morrerão vítimas da doença, em função da descoberta tardia

      O público-alvo da campanha Novembro Azul são homens a partir de 40 anos e grupos que participam do processo de prevenção e cuidados, como familiares e parceiros
      O público-alvo da campanha Novembro Azul são homens a partir de 40 anos e grupos que participam do processo de prevenção e cuidados, como familiares e parceiros(Divulgação)
      O câncer de próstata é a doença mais frequente no sexo masculino, perdendo, apenas, para o câncer de pele não-melanoma. Estatísticas apontam que a cada seis homens, um é portador da doença. Quase 50% dos brasileiros nunca foram ao urologista e, até o fim de 2014, a projeção é que 12 mil morrerão vítimas da doença, em função da descoberta em estágio avançado.
      Os dados foram divulgados pelo Instituto Lado a Lado pela Vida e a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), com o intuito de conscientizar a população masculina sobre a doença e diminuir a taxa de mortalidade.
      A próstata é uma glândula do aparelho reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, de forma e tamanho semelhantes a uma castanha. Ela está localizada abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma. O câncer de próstata é mais incidente que o câncer de mama, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca). A estimativa, entre 2012 e 2013, apontou 60.180 novos casos de câncer de próstata e 52.680 de mama. De acordo com especialistas, o preconceito com o exame de toque retal ainda é forte no Brasil. Apenas 32% dos homens brasileiros declararam já ter feito o exame.
      "Os homens são mais resistentes à ideia de ir regularmente ao médico e, por isso, acabam descobrindo a doença em estágio já avançado", destaca Marlene Oliveira.
      O público-alvo da campanha Novembro Azul são homens a partir de 40 anos e grupos que participam do processo de prevenção e cuidados, como familiares e parceiros. Mais informações estão no endereço eletrônico www.novembroazul.com.br.
      AGÊNCIA BRASIL 

      Sem contas aprovadas, eleitos não serão diplomados.

      Os candidatos, agremiações políticas e comitês financeiros tem até amanhã, dia 4, para prestar contas de campanha do pleito de 2014. Fazem parte desta lista, inclusive, os que renunciaram, foram substituídos ou tiveram seus registros de candidatura indeferidos. A obrigatoriedade atende aos princípios da transparência e da publicidade perante à população. A determinação atende ao calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Todos os eleitos precisam estar com suas contas julgadas antes da diplomação dos mesmos, marcada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) para 18 de dezembro próximo. 

      Após a entrega, a Justiça Eleitoral decidirá pela aprovação ou pela aprovação com ressalvas, quando constatadas falhas que não comprometam a regularidade. A ausência da prestação de contas até a data de entrega caracterizará omissão grave, a ser apurada no momento do julgamento final da movimentação financeira.

      Desaprovação das contas

      Quando forem verificadas falhas que comprometam a regularidade, as contas serão desaprovadas. Neste caso, quando o partido político ou o comitê financeiro tiver suas contas desaprovadas, perderá o direito ao recebimento da quota do fundo partidário do ano seguinte ao trânsito em julgado da decisão, podendo ainda os candidatos beneficiados responderem por abuso do poder econômico. Desaprovadas as contas de candidato, a Justiça Eleitoral remeterá o processo ao Ministério Público Eleitoral (MPE), para a apuração de eventual abuso de poder econômico. 

      Ausência de prestação de contas

      No caso de não prestação das contas, o candidato ficará impedido de obter a quitação eleitoral até o final da legislatura e, se eleito, não poderá receber o diploma. No caso de não apresentação das contas pelo partido ou comitê financeiro, a conseqüência é a perda do direito de receber as quotas do fundo partidário por até um ano.

      Serviço:

      Elton Tavares, com informações do  assessor jurídico da Presidência do TRE-AP,José Seixas
      Assessoria de Comunicação e Marketing do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá

      Mito: Foi o Nordeste que elegeu Dilma



      O jornal O Estado de São Paulo publicou uma análise sobre as eleições presidenciais
       e pontuou
      alguns mitos do pleito. Entre outros o de que foi o Nordeste que elegeu Dilma.
      O artigo mostra que em regiões do Centro-Sul, Dilma teve mais votos absolutos do
      que em outras.
      A matéria revela, também, que a petista não teve menos de 40% dos votos em nenhuma
      das 5 regiões 
      do Brasil

      É claro que o desempenho de Dilma Rousseff (PT) no Nordeste foi crucial para sua vitória:
       a petista teve 20 milhões de votos no 2.º turno, equivalente a 72% do total de votos válidos na região. 
      Mas a presidente reeleita obteve um apoio razoável em todas as cinco regiões. O menor percentual 
      de votos válidos foi no Sul: o apoio de 41% dos eleitores que escolheram um candidato.

      A impressão de que o Nordeste sozinho é o grande responsável pela reeleição de Dilma é fortalecida
       quando se vê o mapa eleitoral dos Estados pintados com a cor de quem teve o maior porcentual de 
      votos ali. Nesse mapa, metade do Brasil aparece pintado de azul, como se esse território tivesse ido
       em direção totalmente oposta à outra metade, vermelha.

      O deputado estadual eleito Coronel Telhada (PSDB-SP) chegou a defender a independência do Sul 
      e do Sudeste por causa disso. Mas, na verdade, dos dez Estados em que Dilma obteve menor votação,
       apenas três estão nessas regiões: Santa Catarina, São Paulo e Paraná. Todos os outros estão no 
      Norte ou no Centro-Oeste. 


      (