terça-feira, 25 de agosto de 2015

Divida ativa municipal será debatida em Macapá



Evento é direcionado para gestores municipais, advogados e estudantes de direito
Ministro Benjamim Zymler (TCU)

Organizado pelo IPA (International Police Association) e pelo IBAP (Instituto Brasileiro de Administração Pública), será realizado, dia 28, sexta feira, no auditório do Sebrae/AP, o Workshop com o título “Dívida Ativa Municipal, Problemas e Soluções”. O evento tem o apoio do Governo do Estado do Amapá (GEA) e da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção  Amapá (OAB/AP).

O Ministro Benjamin Zymler, do Tribunal de Contas da União (TCU), abre o evento com a palestra “Responsabilidade dos Gestores Municipais perante o Tribunal de Contas da União (TCU)”. Estão confirmadas as palestras com outras personalidades de renome nacional, como, Amaury Tomoya, gerente executivo da Caixa Econômica Federal (CEF), dr. Alexandre Valera, da AV Soluções de Brasília; dr.  Nelson da Silva Filho, consultor, especialista em verbas indenizatórias do INSS.

O evento é voltado para prefeitos, procuradores municipais, assessores, advogados e estudantes de direito. Os organizadores informam que não há taxa de inscrição e tem certificado válido para o Ministério da Educação e Cultura (MEC). O horário estabelecido é de 9h às 18h.
---------------------------------------------
Texto: Mariléia Maciel
Jornalista


quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Paulo Campelo: "Não há ilegalidade".


Paulo Campelo, presidente da OAB/AP
O presidente da OAB/AP , Paulo Campelo, me disse ontem que não cometeu nenhuma irregularidade ao expedir as carteiras de advogado, no período do recesso do Conselho. O estatuto o ampara de tomar o voto em casos excepcionais como o que ocorreu. Paulo destacou que os 19 advogados que receberam as carteiras estavam com seus processos completos e aprovados pela Comissão de Análise, o que não justifica a acusação de ilegalidade, mas enaltece o direito garantido de exercer a profissão, seja por oportunidade de emprego iminente, ou por cliente potencial, casos em que não cabe aguardar o término do recesso.    




Janot ganhou, mas leva?

O atual procurador Geral da República, Rodrigo Janot, foi o primeiro entre os três mais  os mais votados pelo colégio de Procuradores do Ministério Público Federal. O atual mandato dele termina em setembro. Nos últimos anos o primeiro colocado da lista tríplice tem sido o escolhido pelo(a) presidente da República. Ocorre o momento é atípico. Como o nome do escolhido ainda tem que passar por aprovação do Senado, nada assegura que Janot será referendado. Tudo porque os políticos estão ressabiados com ele. Janot denunciou Renan Calheiros e Eduardo Cunha, respectivamente presidentes do senado e da câmara. É esperar pra ver.

O FDP de Collor

O ex-presidente e senador por Alagoas, Fernando Collor, perdeu as estribeiras, ontem, ao discursar na tribuna do Senado. Chamou de FDP, algo impublicável por aqui, mas atingiu diretamente a mãe do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot. Collor está inconformado com as acusações que lhes estão sendo feitas. Em sua defesa destacou que suas empresas estão legais e que o fato de estar atrasado com a prestação de um dos seus carrões apreendidos pela Policia Federal isso é assunto pessoal dele. Mas, o que ficou feio mesmo foi ele ter soltado um palavrão daquela tamanho.
Ao que entendo isso é falta de decoro parlamentar e daria cassação, se este fosse um país sério.
O pior de tudo é que nem o presidente da mesa na ocasião, o senador Paulo Paim (PT-RS) nem outro senador qualquer se manifestou. É inacreditável.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

O povo nas ruas

Tem gente apostando que a prisão do José Dirceu e as medidas do juiz Sergio Moro vão esvaziar as passeatas marcadas para o dia 16. Eu penso diferente. O povo está insatisfeito, mesmo com toda essa cambada sendo presa. O descalabro é tão grande, o desgaste do Executivo e do Legislativo é tamanho que ninguém acredita mais em politico e muito menos segura o povo.

Insatisfação do Povo

O Brasil se prepara para ir às ruas no dia 16 próximo. Ao que se sabe a mobilização é grande em todo o país. Com a prisão de José Dirceu, um dos chefes do projeto criminoso de poder do PT, aumentou a insatisfação do povo brasileiro. O país dá sinais de ingovernabilidade. O povo vai pedir a saída de Dilma. Anote.

Quem, quem?

Se o José Dirceu, chefe do Mensalão, também montou o esquema do Petrolão quando era ministro da Casa Civil e se Dilma o sucedeu na pasta, quem passou a chefiar o projeto criminoso de poder? A pergunta fica no ar. Só lembrando que Dilma, em 2010, foi eleita presidente. Pra não calar, então quem ficou no comando do projeto criminoso petista?